Revoltados, usuários do Galaxy Note 7 pedem indenização mas Samsung diz que "já fez demais" - Tecno Explore

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

Microsoft

6 de dezembro de 2016

Revoltados, usuários do Galaxy Note 7 pedem indenização mas Samsung diz que "já fez demais"


Sendo, de longe, o maior fracasso da Samsung em toda a sua história, o Galaxy Note 7 não deixou de causar dor de cabeça para a empresa. 

Como já era de se esperar, vários usuários, revoltados e insatisfeitos com o recall, resolveram entrar na justiça com ações pedindo valores bem elevados de indenização. Na Coréia do Sul, terra natal da empresa, 2.400 pessoas resolveram entrar com uma ação contra a companhia, pedindo compensação de impressionantes R$1.467.459 em indenização.
Mesmo com dois processos de recall e vários incentivos para a troca dos aparelhos, os usuários alegam que foram forçados a visitar as lojas pelo menos quatro vezes para que a troca por outros aparelhos ou a devolução do dinheiro acontecesse. A primeira quando comprou o Note 7, a segunda quando a empresa pediu para que os consumidores verificassem na loja se a bateria estava salva, a terceira quando trocaram o Note 7 pelo novo modelo "seguro" e a quarta quando trocaram o Note 7 "seguro" por outro smartphone.



Curta, a declaração da empresa impressiona pelo tom nada simpático. Primeiramente a empresa disse que já fez tudo que poderia ter feito, depois justificou que os gastos para substituir as unidades chegaram a 30 bilhões. Além disso, a Samsung alegou que se o tribunal dar vitória aos 2.400 consumidores, isso vai afetar direta e negativamente o procedimento voluntário e ativo dos recalls.

Me impressiona o tom de indiferença da Samsung com essa ação conjunta. A empresa colocou a vida dos consumidores em risco e, como o site ZDNet mostra, não facilitou em nada a troca do aparelho. Com isso, não seria novidade alguma caso os 2.400 consumidores vencessem, afinal, eles não tiveram culpa de comprar um smartphone que poderia entrar em combustão espontânea a qualquer momento.

Fonte: ZDNet