A quase falência da Oi mostra a que ponto uma péssima operadora pode chegar - Tecno Explore

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

Microsoft

21 de junho de 2016

A quase falência da Oi mostra a que ponto uma péssima operadora pode chegar

A Oi anunciou, oficialmente ontem (20), que está em recuperação. Segundo a operadora, a intenção de tal declaração é mostrar para todos, e principalmente aos seus credores, que a operadora está sem nenhuma condição de arcar com as suas responsabilidades, ou seja, suas dívidas. Afinal, a Oi está com impressionantes 65 bilhões em dívidas.

Apesar de já ser de conhecimento de todos que acompanham de perto a situação da operadora que ela está em péssimas condições financeiras, não esperava-se até então, que ela fosse chegar a tal ponto.

Como já foi comentado em alguns blogs e fóruns na internet, é uma pena que, com esse pedido de recuperação judicial a empresa tenha que demitir vários funcionário que, em um momento de crise, torna tudo ainda pior, mas é difícil de não falar um sonoro "Eu sabia!" levando em consideração o péssimo serviço prestado pela operadora que, ano após ano, mesmo com serviços com preços elevados, viu a sua dívida crescer absurdamente.

Pegando um máquina do tempo, veremos que a Oi, há tempos, já vinha com as suas contas bem prejudicadas. Só para se ter uma ideia, em 2014 a Oi fechou o ano com impressionantes 46,2 bilhões em dívidas, um aumento de 50% em relação ao ano anterior. Ou seja, além de não ter se preocupado em diminuir a dívida já existente em 2013, a empresa ainda aumentou absurdamente o débito com os credores, mesmo em 2013 prometendo que faria o oposto.

Se já não bastasse isso, a empresa surpreendeu em 2014, quando saiu na imprensa que ela estava disposta a comprar a TIM, sim, amigos, uma empresa que hoje anuncia recuperação judicial pretendia comprar a TIM, Com que dinheiro? É a pergunta que fica. 

Com esse histórico, é fácil perceber como as contas da empresa foram tratadas com irresponsabilidade e sem nenhuma prudência. Além de prestar um serviço de péssima qualidade a Oi, ainda conseguiu aumentar a sua dívida. A pergunta que encerro é a seguinte: Se, de 2014 para 2015 a dívida aumentou em 50%, para onde foi esse dinheiro gasto? Para melhorar a qualidade do sinal, disponibilizar preços mais atraentes ou melhorar a estrutura é que não foi.