Onde estão os fanboys? Apple não é a empresa de tecnologia mais querida nos EUA - Tecno Explore

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

Microsoft

27 de outubro de 2017

Onde estão os fanboys? Apple não é a empresa de tecnologia mais querida nos EUA


De longe, a Apple sempre foi considerada a empresa que tinha a maior quantidade de fãs ferrenhos a defendendo. Mas, de acordo com um relatório feito pelo The Verge em parceria com a Reticle Research, a Maça ficou atrás de várias outras empresas quando os consumidores foram perguntados qual empresa inspira paixão e confiança.

O resultado é mais claro quando os consumidores são questionados em o quanto eles gostam de usar os produtos de uma certa empresa. A Apple pontuou muito menos do que outras empresas de tecnologia como a Amazon, Google, Facebook e Microsoft na categoria "gosto" e "gosto muito". No top 3 55% dos entrevistados "gostaram muito" dos produtos da Amazon enquanto Google e Microsoft ficaram com 45%.

Já em relação a se os consumidores recomendariam um produto ou serviço da empresa, Amazon e Google também saem na frente com 90% dos resultados sendo "pouco provável" e "extremamente provável". Apple vem logo atrás recebendo as mesmas respostas de 80% dos participantes. Nesse ponto o Facebook ficou em último com 15% dos consumidores dizendo "improvável".

A pesquisa entrevistou 1.520 estadunidenses entre os dias 28 de setembro e 10 de outubro e representou todo o território americano de acordo com o senso de 2016.

No gráfico abaixo o The Verge faz uma pergunta interessante: na escala de 1 a 5, sendo 5 a maior nota e 1 a menor, você se importaria se alguma dessas empresas sumisse amanhã?


Como vemos na imagem acima, a Amazon se destacou em primeiro e, mais uma vez, a Apple permaneceu em último lugar, demonstrando que para os entrevistados, a existência da Apple está se tornando cada vez mais irrelevante para o dia a dia deles.

No quesito confiança a Apple aparece em antepenúltimo, sendo a Amazon a vice-líder. Com o excelente serviço de entrega disponibilizado nos EUA em que uma encomenda tem grandes chances de chegar no mesmo dia que o pedido, não é uma surpresa que a gigante do e-commerce tenha se saído bem.

O The Verge avalia os resultados como esperados, principalmente pelo ponto de vista da relevância dos produtos da Apple no dia a dia. Mesmo a Apple dominando mercados competitivos como smartwatchs, por exemplo, Google e Amazon acabam sendo mais relevantes na experiência digital diária. A Google domina os navegadores, sistema mobile, e-mail, tem o Youtube e isso sem contar mais uma infinidade de produtos. A Amazon domina o mercado de e-commerce e ainda tem um serviço de streaming, isso sem contar que nos EUA a empresa ainda vende comida no site, comprovando a presença forte na vida das pessoas. A Apple, por outro lado, não domina ou não está presente em nenhum desses mercados.

É muito interessante esse estudo feito pelo site no principal mercado e na terra natal da Apple. A empresa não vem oferecendo grandes novidades a muito tempo para os consumidores e simplesmente ignora mercados promissores como a Internet das Coisas na qual Google, Amazon e Microsoft já vem abrindo os olhos a um tempo.

Inovar, chegar em novos mercados e acompanhar as tendências virou algo praticamente obrigatório para a Apple que tem 65% das suas receitas dependentes do iPhone. Por isso, não é de se estranhar que os rumores da chegada da empresa em novos mercados se cumpram. O hype pela marca vem mostrando claros sinais de diminuição. Se antes inovar era uma opção, agora se tornou uma obrigação, a marca não vai sustentar a Apple sozinha principalmente em um mercado com ânsia por novidades como é o mercado tecnológico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário