Anúncio da diminuição de frequência nos lançamentos do Windows Mobile já era esperado - Tecno Explore

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

Microsoft

25 de maio de 2016

Anúncio da diminuição de frequência nos lançamentos do Windows Mobile já era esperado


A carta enviada pela Microsoft aos seus funcionários divulgada hoje (25) caiu como uma bomba por quem esperava um aumento na publicidade e no lançamento de aparelhos Lumia pela empresa.

Segundo comunicado, a empresa pretende diminuir o ritmo de lançamentos dos Lumias, deixando o lançamento de aparelhos com Windows 10 Mobile para as OEMs, ou seja, para outras empresas.

Se para alguns isso pode ser um movimento claro e eminente de que a Microsoft está prestes a lançar o seu aguardado Surface Phone, para outros esse pode ser visto como um movimento de desistência gradual da empresa em relação a fabricação de hardwares com o Windows 10 Mobile, focando apenas no desenvolvimento da plataforma, na sua atualização e no seu suporte.

Isso já podia ser notado facilmente na página do Facebook do Microsoft Lumia. Depois de unificar as páginas de todos os países (Microsoft Lumia Brasil, Microsoft Lumia UK, Microsoft Lumia USA, entre outras), em apenas uma, a empresa não posta nada desde o dia 30 de março, ou seja, a quase 2 meses. O que isso significa? Que a empresa já não está mais preocupada em promover os seus smartphones, simplesmente porque não haverá novos lançamentos, ou poucos, nos próximos meses.

Como já vi em alguns comentários sobre a notícia, impressiona como a Microsoft não para de "realinhar" a plataforma mobile do Windows desde que ela foi lançada. E quase sempre essa "realinhamento" significa algo ruim para os usuários da plataforma.

O que acho mais complicado de toda essa situação é a demissão de 1.850, sendo a maior parte de funcionários da divisão mobile que era da Nokia, na Finlândia. Fico imaginando o que eles devem ter achado do que a divisão se tornou desde que ela foi vendida para a Microsoft, coisa boa não deve ser.

Para um sistema que, como foi noticiado ontem, possui menos de 1% na participação de mercado dos smartphones, percebe-se claramente que não é só a Microsoft que está se realinhando. Os seus clientes também estão, para outras plataformas.

Fonte: Microsoft, 88pmh