"A era da banda larga ilimitada acabou". Fala do presidente da Anatel ignora que estamos em 2016 - Tecno Explore

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

Microsoft

18 de abril de 2016

"A era da banda larga ilimitada acabou". Fala do presidente da Anatel ignora que estamos em 2016



A Anatel, Agência Nacional de Telecomunicações não para de surpreender negativamente. Depois de, em fevereiro, não ver problemas na decisão de limitar a internet fixa, agora a Agência lança mais uma pérola: defende com unhas de dentes o limite da internet fixa e ainda diz que a culpa é do consumidor que se acostumou mal a consumir muita banda de internet.

Calma, ainda piora. Segundo João Resende, presidente da agência, as operadoras não estão conseguindo mais lidar com a demanda de internet fixa e, por isso, devem, assim como na internet móvel, limitar para atender melhor.  Além da fala dele ser compatível com um usuário de internet do começo dos anos 2000, levando em consideração que a Agência concorda com os pacotes oferecidos, ele usa de justificativas pobres, sem o menor sentido e bom senso para defender o indefensável.

Quando chegarmos no final do ano, será difícil escolher a pior desculpa possível, as operadoras e a Anatel só se superam.

Se já não bastasse isso a Anatel anunciou hoje o que mais parece uma piada de mal gosto do que uma decisão séria tomada pela agência regulamentadora brasileira.As operadoras estão proibidas de limitar a internet em 90 dias até cumprirem os requisitos informados pela Anatel. As exigências são bem simples e se resumem a basicamente informar o consumidor quando o limite da internet for atingido.

As operadoras e a Anatel pensam que estamos em 2016 e ignoram, também, o preço pago pelo consumidor de internet fixa. Apesar do recuo por parte das operadoras, os consumidores podem e devem continuar reclamando contra o limite.

O que estamos vendo nesse ano é uma tentativa das operadoras de simplesmente frear os investimentos em infraestrutura e qualidade para os consumidores. O que elas realmente querem é continuar aumentando a sua margem de lucro usando de justificativas vazias. 

Inocentes são elas de acreditar que os consumidores irão acreditar em comerciais bonitinhos de TV ou qualquer outro vídeo ou companha de convencimento para mostrar os benefícios (que não existem) em limitar a internet para o consumidor.

A Anatel pode estar do lado das operadoras, mas os órgãos de defesa do consumidor e as manifestações populares farão com que João Resende, presidente da Anatel, fique, no futuro, envergonhado pelo que disse hoje.

Imagem de capa: EBC
Fonte das informações: Folha de S. Paulo e Tecnoblog